8 de dezembro de 2022

Segunda-feira sem carne: saiba mais sobre essa campanha

Movimento busca combater o consumo de carne em excesso no mundo

O movimento Segunda Sem Carne existe para tentar conscientizar as pessoas dos malefícios do uso da carne bovina em excesso. Aqui, vamos explicar como surgiu e qual é o objetivo da campanha, além de trazer algumas opções para o seu cardápio. Prepare as panelas, siga as nossas dicas e entenda a importância desse movimento. 

Presente em mais de 40 países, o movimento Segunda Sem Carne tem como principal embaixador o ex-Beatle Paul McCartney. Diversos chefes de governo, personalidades e empresas também apoiam o movimento. 

O Brasil é um dos países em que o movimento tem maior sucesso. Através de parcerias entre governo e empresas privadas, em 2018 a campanha ofereceu mais de 67 milhões de refeições. 

O que é a Segunda Sem Carne? 

Segunda Sem Carne é um movimento internacional que propõe um objetivo simples: evitar o consumo de carne na segunda-feira. A intenção não é impor uma alimentação diferente, mas apresentar às pessoas essa possibilidade. 

O movimento existe desde 2003, com a iniciativa do publicitário americano Sid Lerner. Engajado em causas do tipo, Lerner participou de um projeto da Universidade John Hopkins para diminuir o consumo de carne da população norte-americana da época. 

Inspirada em uma campanha norte-americana da Primeira Guerra Mundial, que pedia para a população não comer carne às terças-feiras para que sobrasse mais alimento para as tropas americanas, Lerner criou a Segunda Sem Carne. 

A diferença é que, dessa vez, o pedido para evitar o consumo de carne em um dia da semana busca incentivar melhores hábitos alimentares. Lerner também escolheu a segunda-feira por ser um dia que muitas pessoas escolhem para começar algo novo. 

Por que aderir ao movimento Segunda Sem Carne? 

A diminuição do consumo de carne traz benefícios para todos. Tanto para os animais, como também para o meio ambiente e para a saúde das pessoas. Confira abaixo alguns motivos para aderir à campanha:

Diminui o impacto negativo no meio ambiente 

Dados da FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação), mostram que a pecuária é responsável por 14,5% dos gases causadores do efeito estufa. Além disso, a produção de 1 kg de carne exige um gasto de 3.700 de água, em média. 

Em uma estimativa da SVB (Sociedade Vegetariana Brasileira), através das parcerias entre governos e empresas privadas no Brasil, foi possível economizar 57 bilhões de litros de água, além de impedir a emissão de 280 mil toneladas de gás carbônico em 2017.

Diminui a matança de animais 

Em média, durante um ano cerca de 70 bilhões de animais são mortos em todo o mundo. A diminuição do consumo de carne ajuda a reduzir esse número e a preservar a biodiversidade da fauna. 

Diminui o risco de doenças 

Médicos e nutricionistas apontam que a diminuição do consumo de carne traz diversos benefícios para a saúde. Doenças como hipertensão, diabetes e câncer podem ser prevenidas com a adoção de uma dieta mais restritiva ao consumo de carne. 

Como posso substituir o consumo de carne no dia a dia? 

Muitas pessoas não acreditam, mas é possível ter uma alimentação livre de carne e muito nutritiva. Um bom prato vegano possui cereais, grãos e leguminosas que contêm todos os nutrientes essenciais para a saúde. 

Você deve montar seu prato com opções de cereais, como macarrão, arroz e milho. Algumas opções de leguminosas e raízes são batata, mandioca, feijão e amendoim. Alimentos ricos em proteína e de origem vegetal, como lentilha, ervilha e grão de bico, são grandes aliados na montagem de refeições para a Segunda Sem Carne. 

Vale ressaltar que o consumo de carne em si não faz mal à saúde, mas o excesso traz muitas complicações. Aderir a esse movimento é uma maneira de buscar uma alimentação mais equilibrada e começar a ficar menos dependente do consumo de carne no dia a dia, tendo uma alimentação mais balanceada e mais saudável.