7 de julho de 2024

5 erros dentro do setor tech

O setor tech é, cada dia mais, um dos mais importantes para o destaque e o funcionamento de um negócio. 

Por isso, deve-se sempre ter cuidado para corrigir rapidamente as irregularidades, evitando que elas cresçam e, em alguns casos, se tornem irreversíveis, prejudicando seu desenvolvimento.

Atualmente, e cada vez mais, as empresas possuem um setor de TI competente, capaz de lidar com todos os tipos de dados e informações que seus funcionários e softwares utilizam. 

Exatamente por isso é possível qualificar os processos e dados, bem como reduzir erros.

Ainda assim, considerando o alto uso da tecnologia, é de extrema importância que não haja brechas e gargalos neste tipo de operação, de modo a reduzir riscos diversos e que podem afetar toda a organização.

Continue acompanhando este post para conhecer os 5 erros mais comuns no setor tech de empresas de vários ramos.

O que é o setor tech?

De modo geral, com “setor tech” há uma referência mercadológica para abordar os departamentos responsáveis por toda a interface tecnológica de um negócio.

O portal que abriga o SAC do sistema de som ambiente residencial ou os computadores por onde colaboradores acessam o CRM, por exemplo, tudo isso é o setor tech!

Como ocorre em quaisquer departamentos, esse setor também está sujeito a falhas, erros de planejamento e ajustes.

Assim, é papel do gestor e dos colaboradores encarregados trabalharem para identificar erros o mais rápido possível.

Assim, evita-se que a empresa corra riscos como:

  • Vazamento de informações sensíveis;
  • Quedas de servidor;
  • Erros no atendimento;
  • Falhas de logística.

Esses são apenas alguns exemplos do que pode ocorrer caso a infraestrutura de TI não atenda às expectativas.

A seguir, vamos detalhar alguns erros comuns e – exatamente por isso – evitáveis nessa área ao reconhecê-las, veja!

5 erros evitáveis no setor tech

Quando falamos “evitáveis”, é porque eles realmente são!

É tudo uma questão de estar atento ao que acontece dentro e fora da loja de filtros ecológicos e agir de acordo com o que as circunstâncias pedem, criando processos para evitá-los e protocolos de recuperação caso algum imprevisto ocorra. 

Mas, de modo geral, ao conhecer as falhas e erros mais comuns, é possível ajustar os processos de modo que não ocorram. Confira!

1. Negligenciar as necessidades do usuário

Quando se trata de gerenciamento de TI, esses profissionais são mais necessários para os próprios usuários, que precisam conhecer comandos básicos ou funções básicas para entender melhor a segurança e a usabilidade, garantindo uma boa experiência e reduzindo falhas.

No entanto, os profissionais de TI podem não atender às necessidades em um primeiro momento. Afinal, é preciso saber o que os usuários precisam!

Não ignore nenhum feedback, positivo ou negativo, pois a desconfiança pode custar todo o serviço ou comprometer a segurança da empresa.

2. Deixar de investir na tecnologia

Um dos erros mais comuns é se acostumar com a tecnologia e não alterá-la ou investir nela regularmente.

Como as empresas tendem a usar muitos hardwares e softwares caros, a probabilidade de atualizar para modelos e versões superiores é ainda mais demorada e difícil.

No entanto, se isso não for feito, é muito comum que a segurança da informação seja prejudicada ou que a organização continue lutando para manter a produtividade devido a hardware ou software desatualizados, impactando nos resultados.

3. Não pensar estrategicamente na área

Não há como negar. Para trazer resultados qualificados para marcas, equipes e clientes, a área de tecnologia precisa ser estratégica. 

Para que isso seja possível, os processos e serviços – e o próprio setor – devem ser pensados ​​e estruturados enquanto projetos de longo prazo, que possam de fato melhorar os fluxos.

O objetivo é sempre otimizar o trabalho, proporcionar boas experiências aos clientes, possibilitar o aumento da competitividade e rentabilidade da organização, e não apenas apoiar a resolução de problemas. 

Portanto, atividades estratégicas devem ser desenvolvidas. Assim, a indústria de TI tem um valor reconhecido por todos os participantes.

4. Não estruturar níveis de permissão

Para a segurança de todos, considerando informações de valor da própria empresa e de seus clientes, costuma-se restringir arquivos confidenciais apenas para aqueles que realmente têm permissão para acessá-los, criando filtros e graus de permissão conforme cargo, atividade e necessidade de acesso aos dados.

Nesse sentido, é responsabilidade da equipe de TI criar um ambiente estruturado e de acordo com a importância das informações. 

Com a análise e compreensão de sigilo das informações, diferentes perfis de usuários podem ser criados com diferentes graus de acesso ao servidor.

Dessa forma, a equipe evita que documentos importantes caiam em mãos erradas e também minimiza os danos caso um vírus entre no servidor.

Dito isso, as equipes não podem esquecer ou negligenciar esse cuidado com os acessos, pois é esse processo que possibilitará mais segurança, credibilidade e competitividade à marca. 

Além disso, camadas de segurança complementar, de modo a evitar invasões são cruciais para preservar as informações da marca em um ataque.

5. Deixar de impulsionar a capacitação

Quem está envolvido no cenário sabe que o mercado de TI está crescendo rapidamente. Com isso, aumentou muito a demanda por profissionais qualificados e com ampla formação. 

Então, é importante investir mais do que nunca na formação e desenvolvimento das pessoas que trabalham no setor tech. 

É imprescindível que a empresa entenda que não investir na formação desses especialistas também é uma perda. 

Seja a queda na qualidade, aumento no número de erros ou uma queda na motivação dos funcionários, não ter uma equipe qualificada aumenta diversos riscos que comprometem as entregas e resultados.

Conclusão

A lição que desejamos passar no post é que o departamento de TI demanda um outro nível de monitoramento e desenvolvimento tecnológico.

O desempenho do time, os resultados concretizados e a satisfação do cliente dependem muito dessa percepção aguçada, e contar com ferramentas e equipes de alto nível é crucial para obter bons resultados nessa área.