23 de abril de 2024

O que é índice de liquidez e como calculá-lo? Passo a passo

Entender o que é índice de liquidez e como calculá-lo é essencial para avaliar a saúde financeira do seu negócio. Esse indicador é vital para operações de M&A, fusões e aquisições de empresas, entre outras transações, como pedidos de empréstimos e recebimento de investimentos.

Quando a saúde financeira está positiva, há maiores chances de encontrar bons investidores.

O acompanhamento dos índices que envolvem a capacidade de pagamento de uma companhia ajudam a entender se as estratégias corporativas estão dando bons resultados ou se precisam mudar.

Para calcular corretamente a liquidez do seu negócio e analisar o Balanço Patrimonial de modo integral, separamos aqui, neste artigo, informações valiosas sobre o que é índice de liquidez, sua importância e formas de cálculo. Boa leitura!

O que é índice de liquidez?

A liquidez é definida como a capacidade de uma empresa quitar seus pagamentos de obrigações e dívidas com credores, fornecedores e colaboradores, entre outros. O índice de liquidez mede a velocidade e a facilidade que ela tem em converter seus ativos em dinheiro (caixa). Ele analisa a saúde econômico-financeira do negócio.

Chamado também de análise de indicador de desempenho, o índice de liquidez compõe uma das análises mais realizadas por investidores e empresas que desejam realizar uma fusão ou adquirir outro negócio.

Isso porque ele possibilita avaliar a empresa a partir dos aspectos financeiros, incluindo sua estrutura e liquidez, e os aspectos econômicos, como a rentabilidade.

Qual a importância do índice de liquidez?

A maior importância do índice de liquidez é a precisão de análise da situação atual da empresa, tornando a tomada de decisão mais assertiva. A partir dessa avaliação, é possível identificar erros e gargalos no negócio e criar estratégias para ajustá-los a fim de melhorar os resultados.

Esse indicador é crucial para analisar corretamente o Balanço Patrimonial Empresarial, entendendo as oportunidades e os riscos do negócio. Quando está abaixo do esperado, pode-se pensar em como otimizar os recursos e reduzir custos para cumprir com as obrigações corporativas.

Como calcular o índice de liquidez?

O índice de liquidez tem quatro formas de cálculo, de acordo com seus principais tipos: liquidez geral, liquidez corrente, liquidez seca e liquidez imediata. Os valores necessários para calcular os resultados são encontrados no Balanço Patrimonial da companhia. 

Veja a seguir como calcular o índice de liquidez de seus quatro principais tipos.

  1. Índice de Liquidez Geral

O objetivo do índice de liquidez geral é analisar a situação financeira da empresa, avaliando os direitos e as obrigações.

Esse indicador identifica quanto há de ativos para pagar suas dívidas e obrigações no curto, médio e longo prazo.

A fórmula utilizada para calcular a liquidez geral é:

LIQUIDEZ GERAL (LG) = (Ativo Circulante + Realizável a longo prazo) / (Passivo Circulante + Exigível a longo prazo)

Lembramos que o ativo e passivo circulante são os de curto prazo: 

  • ativo circulante: que pode ser convertido em dinheiro em até um ano;
  • passivo circulante: obrigações e dívidas que devem ser quitadas até um ano.

Se o resultado for maior que 1, significa que o negócio tem capacidade de pagar todas as obrigações e, ainda, possui dinheiro em caixa. Porém, se der menos do que 1, é sinal que a companhia está com dificuldade de pagamento a curto prazo. Quando menor o resultado, mais próxima a empresa está da insolvência.

  1. Índice de Liquidez Corrente

A liquidez corrente se refere à capacidade de pagamento das obrigações no curto prazo, isto é, em até um ano (12 meses). Ela mostra o quanto a companhia tem de ativos para quitar suas dívidas nesse período.

O cálculo do índice de liquidez corrente é feito de acordo com a fórmula:

LIQUIDEZ CORRENTE (LC) = Ativo Circulante / Passivo Circulante

Se o resultado for acima de 1, a empresa possui ativos e “uma folga” a curto prazo para quitar suas obrigações. Se for menor, necessita de recursos para cumprir com suas obrigações até um ano. Já se o valor der igual a 1, a empresa nem perde nem ganha, possui os ativos necessários para fazer seus pagamentos.

  1. Índice de Liquidez Seca

O índice de liquidez seca descobre a capacidade de pagamento de obrigações em até um ano, sem levar em consideração o valor dos estoques com itens que ainda não foram vendidos e, por isso, possuem menor liquidez em comparação com outros ativos.

Por isso, seu resultado é sempre menor do que o índice de liquidez corrente, que considera o estoque como ativo.

Seu cálculo é feito pela fórmula:

LIQUIDEZ SECA (LS) = (Ativo Circulante – Estoques) / Passivo Circulante

Ela identifica a quantidade de ativo líquido que a companhia tem para quitar suas obrigações a curto prazo.

Se o resultado der mais que 1, a empresa tem recursos de sobra para pagar suas dívidas, sem considerar a venda dos itens no estoque. Se for menor que 1, ela não possui dinheiro para quitar suas dívidas, independentemente da venda ou não do estoque.

  1. Índice de Liquidez Imediata

Por fim, um dos principais índices de desempenho é o de liquidez imediata. Diferentemente da liquidez seca, esse indicador avalia a capacidade de pagamento das obrigações empresariais a curto (e curtíssimo) prazo, mas levando em consideração apenas os valores em saldos bancários e aplicações financeiras de liquidez imediata.

Não é à toa que ele é considerado um dos indicadores mais conservadores do mercado.

Seu cálculo é realizado pela fórmula:

LIQUIDEZ IMEDIATA (LI) = Disponibilidades / Passivo Circulante

Caso o cálculo dê mais que 1, a empresa pode quitar suas obrigações no curtíssimo prazo. Se der menos, ela não consegue pagar suas dívidas imediatamente.

Porém, não se assuste com o valor baixo como resultado. Em geral, as companhias não possuem tanto capital em caixa e investimentos de liquidez imediata. Esse indicador é, por isso, bastante volátil.

Qual o índice de liquidez ideal?

O índice de liquidez ideal considerado pelo mercado são resultados maiores do que 1. Isso representa que a companhia tem boa saúde financeira e capacidade de lidar com suas obrigações, gerando lucro.

A análise do valuation de uma empresa, ou seja, seu valor de mercado, inclui a avaliação do índice de liquidez. Afinal, ele é essencial para operações de M&A e o interesse de possíveis investidores no negócio. Quanto maior for esse indicador, melhor será a capacidade da empresa prosperar no futuro.

A partir disso, mostra a qualidade da gestão corporativa, indicando que o negócio pode ser um bom investimento.

Mas, apesar de focar em manter o cálculo acima de 1, vale ter em mente que é necessário analisar esses quatro tipos de indicadores de liquidez e ainda outros, que mostram o desempenho empresarial ao longo dos anos, com projeções futuras.

Para isso, é fundamental contar com uma consultoria de M&A, especializada em processos com avaliação de empresas, fusões e aquisições. Além de tornar a operação mais profissional, ajuda a evitar prejuízos ao longo da negociação.

Fonte: Capital Invest, uma das principais Boutiques de M&A no Brasil, com quase 20 anos de experiência em assessoramento financeiro para avaliação, compra e venda de empresas.