8 de dezembro de 2022

Wier prevê dobrar faturamento em 2021 impulsionada por crescimento recorde

Com crescimento de 500% no ano passado e produtos em mais de 20 países, empresa de tecnologia ganha mercado com equipamentos de sanitização capazes de inativar vírus causador da Covid-19

A Wier, especializada em equipamentos para sanitização com o uso de plasma frio e ozônio, prevê dobrar seu faturamento até o fim de 2021. A expectativa mantém a companhia em um ganho de mercado acelerado, depois de registar alta de 70% nos negócios, em 2019, e obter crescimento recorde de 500% no ano passado. A expansão se deve principalmente ao aumento na procura por produtos de descontaminação de ambientes e tratamento de água, alimentos e efluentes e ao fato de a empresa ter comprovado a eficácia de seus equipamentos na inativação de mais de 99,9% do vírus Sars-CoV-2, cepa original da doença da Covid-19.

Além dos impactos provocados pelo olhar mais apurado da sociedade sobre a questão da higienização de forma geral, não só em função do novo coronavírus, mas pelas demais doenças respiratórias que afetam a população sobretudo no inverno, a Wier também atribui os bons resultados ao lançamento de uma linha de sanitizantes exclusiva para uso residencial. Os novos produtos são dedicados a combater o mofo e microorganismos em alimentos e ambientes, incluindo a água da piscina com a redução dos efeitos negativos do cloro.

Com 10 anos de mercado, a empresa catarinense — acelerada pelo Scale Up Endeavor — é pioneira na aplicação de ozônio para descontaminação de ambientes e do ar e atua nos setores residencial, hoteleiro, automotivo, industrial e agro, com foco não só na saúde, mas na redução de custos e sustentabilidade. Isso porque o ozônio é um gás natural formado a partir do oxigênio do ar e muito mais forte e econômico em relação a oxidantes e sanitizantes comuns como ácido peracético, cloro e peróxido de hidrogênio. Assim, combate com eficiência microorganismos como vírus, bactérias e fungos,  no ar, água e superfícies, além de degradar quimicamente os poluentes químicos.

De acordo com o doutor em Química e CEO da Wier, Bruno Mena, só em 2020 cerca de mil novos negócios foram criados por conta da tecnologia da empresa, alcançando mais de 30 mil equipamentos vendidos e atualmente com presença em todos os estados do Brasil e em mais de 20 países. “Já impactamos mais de cinco milhões de vidas com o poder do ozônio e nossa missão é atingir cada vez mais pessoas de forma sustentável”, afirma o CEO da Wier.

Impacto contra a Covid-19 e em diferentes setores

Com utilização exclusiva na descontaminação de ambientes e, incluindo o ar e superfícies de objetos, o ozônio virou um importante aliado contra a disseminação da Covid-19. Com certificação realizada por uma empresa em um laboratório de Biossegurança Nível 3, da USP, os equipamentos da Wier conseguiram alcançar a inativação de mais de 99,9% do vírus Sars-CoV-2.

De acordo com o Dr. Bruno Mena, essa eficácia fez com que vários mercados se abrissem para o uso do ozônio, tanto no âmbito residencial quanto por profissionais e empresas. “Em primeiro lugar, essa certificação contribuiu para validar a eficiência dos nossos equipamentos e mostrar como podemos apoiar a prevenção e a saúde das pessoas ajudando a diminuir novos casos de contaminação. Por outro lado, contribuiu para a economia, pois vários empreendedores, micro e pequenas empresas passaram a ter esses equipamentos como forma de levar proteção para seus clientes e uma renda extra para o seu negócio”, afirma.

O setor automotivo foi um dos mercados que mais despontou para o uso do ozônio. Não só concessionárias, como empresas de aluguel de carros e, até mesmo, lavação, passaram a fazer a descontaminação dos veículos para levar mais segurança para seus clientes.  Nas empresas de transporte isso se tornou fundamental para a sobrevivência do negócio. Os carros de aplicativo também viram na descontaminação pelo ozônio uma forma de garantir a sobrevivência e segurança do serviço.

Na rede hoteleira, a premissa da segurança também foi a mesma. Antes mesmo da pandemia, a higienização dos ambientes já era um ponto de atenção deste mercado. Da mesma forma, o mercado agro já olha com interesse para o uso do ozônio para sanitizar a água e alimentos.

Na indústria, o ozônio é utilizado de forma ampla, seja no agronegócio, alimentos, bebidas, têxtil e no tratamento de efluentes líquidos e gasosos. Em relação ao tratamento de efluentes, por exemplo, pode ser utilizado pela indústria têxtil e de bebidas, permitindo a redução de custos, reuso de água utilizada e atendimento a parâmetros ambientais exigidos por lei como DBO, DQO, cor, entre outros. É capaz também de eliminar o cheiro ruim, além de levar mais sustentabilidade. Por ser uma tecnologia sustentável, o ozônio contribui para o desenvolvimento sustentável e para a economia circular.

A empresa recebeu o prêmio Fritz Muller de Sustentabilidade na categoria Tratamento de Efluentes, iniciativa do Instituto de Meio Ambiente de Santa Catarina. Além disso, planeja recuperar o meio ambiente com o plantio de 70 mil árvores até 2024.

Segundo o Dr. Bruno Mena, as possibilidades de aplicação são inúmeras e os benefícios ainda maiores. “É possível mudar o mundo por meio de pequenas atitudes e nós podemos ajudar com o poder do ozônio, pois ele diminui o uso de produtos químicos, de água, de energia e de resíduos, diminuindo assim a pegada ecológica no nosso planeta”, finaliza.