6 de dezembro de 2022

Aprenda a reinventar ideias no marketing

Nenhum empresário ou gestor de vendas pode ignorar como é importante trazer inovações para manter uma empresa atuando. Atualmente, reinventar ideias no marketing é um dos modos mais eficientes e completos de fazer isso, e pode mudar tudo.

De fato, poucas coisas podem ser tão abrangentes quanto esse tipo de abordagem, graças ao fato de que o marketing é mesmo um dos principais fatores na história de um negócio. Ele pode ir desde o fortalecimento da marca até o aumento de vendas.

Mas para isso é preciso entender, justamente, o que é o marketing e como realmente reinventá-lo, trazendo as mudanças que são necessárias, sem negligenciar ou perder eventuais aspectos que já estejam funcionando e precisem permanecer.

No caso, um primeiro passo fundamental e indispensável quando uma firma de serviço de cabeamento de internet decide dar um passo desses é ela perceber a diferença entre o marketing, a publicidade e o branding, embora alguns confundam os três.

Na verdade, a publicidade nada mais é do que um conjunto de regras e estratégias voltadas quase que exclusivamente para as vendas. Como na hora de escolher os veículos de divulgação de uma ação ou campanha de vendas.

Antigamente, esses meios publicitários giravam em torno de panfletagem, outdoors e busdoors, newsletters impressas, revistas, jornais, e até mesmo televisão e rádio. Hoje são os veículos digitais, como as redes sociais e os grandes motores de busca.

Portanto, a publicidade tem um aspecto mais imediato e até pragmático, sem muita capacidade de recuar para um campo de teorização e questionamentos. Já o branding vai fazer exatamente isso, recuando para um momento anterior ao próprio marketing.

Comparativamente, o marketing é quem vai discutir planejamentos, orçamentos, equipes de trabalho, campanhas mais abrangentes e partes ligadas à filosofia da marca. Ao passo que o branding é quem define a cultura organizacional de um negócio.

Ou seja, alguém da área de lavagem de cortinas com blecaute que queira definir sua filosofia de marca, estipulando os famosos pilares da missão, da visão e dos valores, vai precisar desenvolver seu branding com mais eficiência.

Naturalmente, o mais indicado é que ele seja desenvolvido no momento de fundação da marca, como algo definido pelos próprios fundadores e sócios. Depois, esses valores de trabalho vão passar pela direção e pelas demais lideranças até chegar no colaborador.

Contudo, também é possível definir esses traços depois de ter aberto a empresa, caso ela já tenha algum tempo de atuação no mercado. Só o que precisa ficar claro é que isso tem de ser feito com muita seriedade, daí ser papel dos donos do negócio.

Por outro lado, o mercado tem mudado tanto nos últimos anos, que o melhor é que a empresa arrisque alguma margem de mudança, por menor que seja, em vez dela simplesmente estagnar na mentalidade de anos ou décadas atrás.

Isso tudo tem várias implicações bem sérias, como veremos adiante. Mas é também o único modo de conseguir confrontar uma concorrência que parece crescer a cada dia que passa, sempre surgindo alguém para prestar as mesmas soluções de sempre.

Sem falar nas expectativas de uma nova geração de compradores que é extremamente exigente. De fato, para comprar um papel para bandeja personalizado um consumidor moderno pode chegar a cotar com dezenas de opções, graças à internet.

Ele tem ao seu dispor os grandes buscadores como Google, Bing, Yahoo! e Ask Brasil. Além de aplicativos de celular e plataformas digitais que ajudam a encontrar as lojas e estabelecimentos mais perto dele, que prestam aquela solução específica.

Por isso se tornou tão importante falar sobre a reinvenção da própria marca, tal como estamos fazendo aqui. Além de explicar a importância disso, vamos apontar como exatamente identificar os pontos exatos de melhoria.

É a famosa história de que não se mexe em time que está ganhando, o que pode exigir mais cuidado do que alguns imaginam em um primeiro momento. Além de que vamos listar as 3 melhores dicas de como realmente trazer essa revolução.

Isso passa por conselhos práticos, mas também pela necessidade de aprofundar alguns conceitos e características teóricas, sem o que seria bem difícil realmente assimilar o assunto, ao menos sem se perder em afirmações genéricas e muito abstratas.

Por sorte, um dos pontos fortes dessa estratégia revolucionária é o fato de que ela já foi tão testada que hoje realmente pode ajudar qualquer tipo de empresa, seja para vender roupas no varejo ou para fazer serviço de motoboy expresso para outras companhias.

Isso quer dizer que não tem a ver tanto com o tipo de segmento em que a pessoa atua, ou qual o nicho específico daquela marca. Só o que importa é que haja um empresário e seus gestores realmente engajados em trazer as mudanças necessárias.

Desta maneira, se o seu interesse mais urgente é justamente mergulhar de cabeça em dicas e informações fundamentais, que podem mudar para sempre a força da sua marca e o seu número de vendas, então basta continuar por aqui até o fim do texto.

O que é e por que reinventar?

No Brasil, a maioria das empresas que abrem as portas acabam falindo dentro do primeiro ano de atuação. Segundo dados do próprio Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), esses números são espantosos.

Cerca de 80% das firmas quebram em menos de 12 meses. Ou seja, a cada 10 empresas abertas, apenas 2 vão continuar sua jornada depois de um ano. Em um arco de 5 anos, só metade dessas que resistiram vão sobreviver de fato.

É uma realidade realmente preocupante, que também nos traz outro motivo muito forte para decidirmos reinventar nossa própria empresa por meio do marketing.

Também vimos acima que o marketing lida eminentemente com estratégias que oscilam entre o branding e a publicidade. Ou seja, ele é perfeito para a empresa não se perder nem no excesso de teoria, nem apenas na prática imediatista.

Se a marca vende ou fabrica impressora de etiqueta colorida, ela pode começar fazendo um planejamento detalhado do que vai mudar e como fazer isso. Basicamente, os pilares que vão estar em jogo são os seguintes:

  • Estudo da situação da empresa;
  • Levantamento de dados do mercado;
  • Análise profunda da concorrência;
  • Definição da persona de público;
  • Estudo dos objetivos de marketing;
  • Cronograma e planos de ação;
  • Definição clara de orçamento;
  • Alinhamento entre equipes e líderes;
  • Monitoramento e análise de resultados.

Enfim, são todas as frentes que realmente fazem com que uma organização tome as rédeas do seu próprio negócio, em vez de se sujeitar às oscilações do mercado ou aos caprichos da concorrência, que até aqui pode ser que tenha atuado quase que sozinha.

Ao falar de uma análise profunda dela, por exemplo, o que se quer dizer é que não se trata de copiá-la descaradamente. Mas apenas de ter uma base de comparação, para em cima disso trazer as mudanças realmente pertinentes, como ficará claro abaixo.

  1. Faça seu benchmarking

Não é possível falar em reinvenção de uma marca por meio do marketing sem mencionar a importância do estudo da situação atual da empresa em questão, bem como do levantamento de dados do mercado e da análise profunda da concorrência.

Mas, para isso realmente sair do papel, um passo interessante é alinhar um benchmarking, já com os donos e com os devidos líderes, que podem ajudar e muito.

Na prática, até poucos anos atrás as empresas pagavam para fazer esse tipo de pesquisa, usando subsídios do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e afins.

Atualmente, uma firma de limpeza escritório advocacia pode lançar mão apenas da internet, sondando o website, o blog e até as redes sociais de quem já está no mercado há mais tempo, como quem toma um atalho seguro.

  1. Avance com confiança

Depois de ter um estudo completo do seu segmento e de suas possibilidades, como algo que já deu um passo além da mera teoria, é preciso pôr a mão na massa.

Um passo incrível aqui é fazer a definição da persona do público. Se antes uma empresa de uniforme feminino social precisava se limitar a dados como profissão, faixa etária e poder de compra do cliente, hoje ela pode ir muito além.

Então, para reinventar seu marketing, é preciso entender a fundo o cliente, perguntando quais os desejos e sonhos dele, o que ele ama e o que odeia em uma negociação, que tipo de entretenimento curte, como consome notícias, e daí em diante.

  1. Métricas e monitoramento

Por fim, depois de rodar todo o cronograma e os planos de ação, você vai perceber que precisa fazer análises sérias dos resultados que começam a surgir.

A própria definição do orçamento depende disso, o que também pode alterar o alinhamento entre equipes e líderes, como quando uma loja de persiana horizontal decide reinvestir apenas nas estratégias que deram resultado, declinando das outras.

Para isso, seu marketing precisa ser assertivo nas análises, contar com números confiáveis e monitorar sempre, buscando modos de otimizar os gastos e ampliar os resultados.

Considerações finais

Atualmente, não dá para deixar de explicar a importância de reinventar uma empresa, mostrando sempre o modo como identificar os pontos de melhoria.

Acima fizemos isso e ainda detalhamos os 3 pilares de como você pode revolucionar o marketing da sua empresa, com isso melhorando a situação completa dela.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos