6 de dezembro de 2022

As tendências frescas e essenciais para o verão 2022

Com o fim da pandemia à vista, a sessão de desfiles da Semana da Moda Masculina de Paris, que terminou no domingo, 27 de junho, mostrou um claro otimismo nas passarelas, com guarda-roupas pensados para voltar à vida social e ao ar livre. As coleções de moda masculina para a primavera-verão 2022, reveladas em Londres, Milão e Paris através de alguns desfiles presenciais e o do já habitual formato de vídeo, destacaram-se pela sua usabilidade, com uma grande sensação de conforto, um espírito muito descontraído e a sua paleta incomum, oscilando entre cores vitais, por vezes fluorescentes, e tonalidades delicadas e suaves em tons pastéis ou empoeirados.

Peças básicas e atemporais que podem ser combinadas à vontade, desde que sejam todas da mesma cor, incluindo acessórios, bolsas, meias e sapatos! O total look é o novo mantra para os homens, como Alessandro Sartori interpretou idealmente na Ermenegildo Zegna, assim como muitos outros designers o fizeram através de conjuntos rigorosamente monocromáticos, onde as peças se sobrepõem e combinam entre si.

O terno continua sendo a peça principal para os homens, mas as suas proporções foram suavizadas nos ombros e no forro. Mesmo que ainda encontremos os clássicos ternos cinza, branco e preto, este novo uniforme masculino, confortável mas não menos elegante, é oferecido em tons inusitados. Ou em uma paleta de cores doces (rosa, azul celeste, malva pastel e amarelo) infundindo um certo frescor aos looks de verão. Ou, por outro lado, nas cores cintilantes (vermelho, verde, turquesa, amarelo) para energizar o guarda-roupa.

Neste guarda-roupa de fronteiras fluidas, que se liberta dos códigos tradicionais da moda masculina sem abandoná-los por completo,o icônico paletó masculino torna-se o terreno para todas as experiências. Para o próximo verão, surge um modelo de manga curta, uma versão híbrida entre jaqueta e camisa. Alguns designers encurtaram a peça acima do umbigo, transformando-o em um bolero na Fendi ou capa na Wooyoungmi. Em muitas coleções, ele foi simplesmente desprovido de mangas para maior leveza e liberdade.

Visando um guarda-roupa cada vez mais leve e prático, os designers retrabalharam peças e acessórios para torná-los mais funcionais, sem sobrecarregá-los, valendo-se de boa vontade do registro do workwear com seus casacos com bolsos largos, seus coletes e macacões. Tudo se encaixa facilmente, permitindo a máxima liberdade de movimento. As peças de vestuário básicas são revisitadas em modo multifuncional.