29 de setembro de 2022

Cidades no Brasil que mesclam o aspecto de interior com características de grandes centros

Sorocaba, São José do Rio Preto, Curitiba e Ribeirão Preto

O Brasil é um país repleto de paisagens naturais, compostas por muito verde e diversas árvores. Por esse motivo, ainda que existam grandes centros com vários prédios, ainda há municípios que mesclam urbanização com o aspecto do interior.

É o caso de Curitiba, por exemplo, que é considerada a cidade mais sustentável não só do país, mas de toda a América Latina.

Neste artigo, listamos cidades brasileiras sustentáveis que equilibram características de grandes centros com o verde dos municípios rurais. Confira!

Sorocaba

Localizada no interior de São Paulo, a cidade de Sorocaba é famosa devido às indústrias de máquinas, metalurgia pesada e siderurgia. Além disso, ela é muitas vezes associada às indústrias automobilística e de implementos agrícolas.

Sorocaba também está ligada à produção de energia eólica, de cimento e às indústrias farmacêutica e petroquímica.

Embora seja uma cidade de médio porte, a região abriga uma população de quase 700 mil habitantes e a produção industrial alcança mais de 120 países, atingindo um Produto Interno Bruto (PIB) superior a R$ 32 bilhões.

Esses números levam a cidade ao décimo nono maior PIB do Brasil, superando capitais como Belém, Natal, São Luís, Florianópolis, Natal e Vitória.

São José do Rio Preto

Município brasileiro localizado no interior do estado de São Paulo, São José do Rio Preto está a 442 km da capital e influencia diretamente uma região com mais de 100 cidades.

Além disso, é um importante entroncamento rodoviário, cortado pelas rodovias Washington Luís, BR-153 e Assis Chateaubriand. A área total ocupa mais de 430 km² e, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população é estimada em cerca de 470 mil habitantes.

A cidade também é um dos principais polos educacionais, industriais, culturais e de serviços do interior paulista. Durante um bom tempo, a história econômica da região esteve ligada à cafeicultura.

Segundo um estudo da consultoria de gestão Macroplan, divulgado em fevereiro de 2020, os ótimos resultados na área de educação colocam a cidade na segunda posição entre as melhores do país. 

O levantamento considerou as 100 maiores cidades do Brasil, todas com o número de habitantes superior a 250 mil pessoas.

Curitiba

Capital do Paraná e um dos três estados que fazem parte da Região Sul do Brasil, Curitiba foi fundada em 29 de março de 1963 e hoje conta com quase 2 milhões de habitantes.

No século XVII, a  principal atividade econômica da região era a mineração, aliada à agricultura de subsistência (produção de alimentos para garantir a sobrevivência do agricultor, da família e da comunidade em que está inserido).

Já o ciclo subsequente, que subsistiu pelos séculos XVII e XIX, foi o da atividade tropeira, derivada da pecuária.

Hoje, Curitiba enfrenta desafios de grande metrópole, em que a questão urbana é refletida sob o ponto de vista humanista de que a cidade é, primeiramente, de quem nela vive.

Ribeirão Preto

Embalada pela produção cafeeira no século XIX, Ribeirão Preto cresceu muito rapidamente. A história da cidade começa por um pedaço de terra doado por José Mateus dos Reis (dono da maior parte da Fazenda das Palmeiras), para que fosse criada uma capela.

Com o passar dos anos, o terreno foi ficando cada vez mais extenso e tornou-se um bairro, que ganhou o nome de Ribeirão Preto em 1870. Distrito pertencente a São Simão.

Quatro anos depois, o povo de Ribeirão Preto ganhou uma independência ainda maior: o bairro foi elevado à categoria de vila e, quinze anos mais tarde, foi finalmente considerada uma cidade.

Atualmente, a agricultura ainda é o forte de Ribeirão Preto, mas está aliada ao setor de tecnologia que também caracteriza a cidade.

Por fim, vale ressaltar que Ribeirão Preto possui mais de 720 mil habitantes e é dona de um dos maiores PIBs do país.