7 de dezembro de 2022

Dinheiro a mais: 5 dicas sobre o que fazer com o décimo terceiro

As férias de final de ano estão chegando! Em novembro, já começam as preparações para a ceia de Natal e, é claro, para as comemorações de Ano Novo. Mas, para quem tem carteira assinada, outra pergunta ganha protagonismo: o que fazer com o décimo terceiro? 

Esse é um dos momentos mais esperados por milhões de trabalhadores brasileiros. Muitos contam com o benefício para proporcionar melhores presentes de fim de ano ou, até mesmo, para impulsionar as comemorações.

Mas, durante este texto, vamos conversar, principalmente, com você, trabalhador que deseja utilizar o 13º de maneira consciente e sem extravagâncias! Por isso, ao longo deste artigo, vamos abordar: 

  • O que é o décimo terceiro salário;
  • Como efetuar o cálculo do décimo terceiro;
  • O que fazer com o décimo terceiro.

Vamos aprender como fazer o salário render juntos? Faça uma boa leitura! 

O que é o décimo terceiro salário? 

Você não sabe o que é o benefício do 13º salário? Pode ficar tranquilo que nós vamos contar a sua história! 

O décimo terceiro foi criado pelo então presidente João Goulart, em julho de 1962. Todos os trabalhadores com carteira assinada que trabalharam mais de 15 dias em uma empresa possuem direito a este benefício. 

Portanto, se você começar a trabalhar no primeiro dia de dezembro em uma empresa com carteira assinada, saiba que você pode receber o benefício. 

Por lei, a empresa pode optar por dividir o pagamento do décimo terceiro em duas parcelas, que são pagas até o último dia útil de novembro e a segunda até o dia 20 de dezembro. 

E fique tranquilo, pois o décimo terceiro não é descontado da sua folha de pagamento ao longo do ano! Além de ganhar os 12 salários anuais, você também tem a garantia de recebimento de um salário extra. 

Assim como as outras bonificações mensais, o 13º também possui o desconto do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (IRRF). Caso a sua empresa divida o pagamento do décimo terceiro, estes descontos serão feitos na segunda parcela do seu benefício.   

Como efetuar o cálculo do décimo terceiro?

Agora que você já sabe o que é este “salário extra” e como ele funciona, está na hora de aprender o cálculo do décimo terceiro! 

É simples: pegue o valor do seu salário sem os descontos e divida por 12 (referente à quantidade de meses do ano). Depois, multiplique pela quantidade de meses trabalhados. Assim que isso for feito, é só subtrair a quantidade do desconto do INSS. Esse será o valor do seu décimo terceiro. 

Vamos ver um exemplo? Imagine que João começou a trabalhar na empresa em julho de 2021 e que o seu salário bruto é de R$1500. 

Neste caso, João deverá dividir o seu salário por 12, que dará o total de R$125 por mês. Como ele trabalhou por seis meses, João deve multiplicar este valor por seis, resultando o total de R$750. 

Deste valor, João deverá retirar 9%, que é a alíquota do INSS no ano de 2021 para a sua faixa salarial. Isso significa que, no final, o trabalhador receberá o total de R$682,60 como décimo terceiro. 

Caso João tenha seu 13º dividido em duas parcelas, ele receberá R$375 até o último dia útil de novembro e R$307,5 no dia 20 de dezembro. Isso acontece porque o desconto do INSS é feito, somente, na última parcela. 

O que fazer com o décimo terceiro?

Está na hora de começar com as dicas sobre o que fazer com o décimo terceiro, não é mesmo? Confira a seguir! 

1. Quite suas dívidas de 2021

Nada melhor do que começar o ano sem dívidas passadas, não é mesmo? Então, para quem está com o nome sujo, o décimo terceiro pode vir como um facilitador para quitar todas as pendências. 

Com o crescente dos juros, é interessante eliminar as dívidas o quanto antes. Por isso, utilize uma parte do seu benefício para pagar o que está em aberto. E lembre-se: mesmo que 100% do 13º não seja suficiente, é melhor quitar uma parte das suas despesas do que deixá-las acumulando juros. 

2. Use para pagar as contas de começo de ano

Se você tem que se preocupar com IPTU, IPVA, material escolar, matrículas escolares e outras dívidas que chegam nos primeiros meses do ano, seja bem-vindo à idade adulta. 

Com a quantidade de despesas que o começo do ano traz para o trabalhador, é interessante separar uma parte dos seu décimo terceiro para quitar essas dívidas. 

Confira algumas contas que chegam logo no comecinho do ano: 

    • IPTU. O Imposto Predial e Territorial Urbano deve ser pago no começo do ano por quem tem um terreno. Para quem mora de aluguel, o IPTU pode vir incluso nas despesas mensais;
    • IPVA. O Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores é um dos impostos que devem ser pagos pelos motoristas. O pagamento a vista pode garantir um desconto considerável;
    • material escolar. Seja para você ou para o seu filho, pode esperar que o material tomará uma porcentagem do seu salário. Por isso, já é interessante separar uma porcentagem do seu décimo terceiro para quitar essa compra;
  • matrículas escolares. Este é um outro ponto a ser considerado no começo do ano. É comum que escolas particulares cobrem uma taxa de matrícula quando o seu aluno passa de ano. Portanto, o ideal é guardar uma parte do décimo terceiro para utilizar a este fim.

3. Coloque na reserva de emergência

Não podemos nos esquecer da reserva de emergência, não é mesmo? Como o próprio nome já diz, este dinheiro estará guardado para ser usado em casos de extrema urgência, como um acidente, uma dívida inesperada ou uma demissão inesperada, por exemplo.

Por isso, é importante que você tenha de seis a 12 meses do equivalente a o que você gasta por mês dentro da sua reserva de emergência. 

João, do exemplo acima, gasta R$1200 para pagar suas contas, comer e se divertir. Portanto, ele deverá criar uma reserva com R$7.200 a R$14.400 guardados. 

O décimo terceiro pode ser uma boa ajuda para impulsionar a sua reserva, já que é um dinheiro a mais que você receberá como bonificação. 

Se você está com dúvidas sobre a reserva de emergência, assista o vídeo abaixo! 

Link para o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=GCiedjkNJGg

4. Contemple as suas metas

Uma viagem, um carro novo, uma casa própria ou, quem sabe, uma nova faculdade? Metas são o que não faltam na vida do brasileiro. 

E, é claro, o décimo terceiro pode ser um impulsionador para você tirar suas metas do papel e colocá-las em prática. 

Se você tem as suas metas bem planejadas, divida o seu décimo terceiro entre elas, respeitando o grau de importância e de urgência de cada uma delas. 

5. Comece a investir

Você não vai deixar o seu décimo terceiro no banco, não é mesmo? Desta maneira, você estará perdendo dinheiro! 

Com o seu décimo terceiro, você deve aprender a como fazer o salário render! A renda fixa pode ser uma ótima aliada na hora de começar a investir. 

Dentre as inúmeras opções, estão Tesouro Direto, LCI, LCA e Certificado de Depósito Bancário (CDB). Todos esses investimentos rendem mais do que a poupança e possuem menos riscos do que aplicar na bolsa de valores. 

E que venham as festas!

Agora que você já sabe o que é o décimo terceiro e como fazer o salário render, você está pronto para aproveitar as festas de final de ano. 

Mas, antes disso, que tal fazer um planejamento para o próximo ano? Para isso, siga essas dicas abaixo: 

  • coloque na ponta do lápis todas as suas dívidas. É importante que você tenha um controle detalhado do que você precisa pagar para não acumular mais dependências no próximo ano;
  • caso tenha pendências, estabeleça uma porcentagem do seu salário do ano que vem para quitar as dívidas;
  • estabeleça suas metas do próximo ano e comece, agora mesmo, a juntar o dinheiro;
  • por último, mas não menos importante, não se esqueça da reserva de emergência. Faça um balanceamento de quantos por cento do seu salário pode ser investido na sua reserva. 

Para os supersticiosos, agora é só separar a roupa amarela para a virada do ano e esperar muita prosperidade na sua vida financeira! Aproveite e mande este texto para os seus amigos e familiares que estão em dúvida sobre o que fazer com o décimo terceiro!