7 de agosto de 2022

Mercado imobiliário em São Paulo: entenda por que especialistas acreditam que é hora de comprar na cidade

Dados da Proptech Israelense também aposta que os bairros com maiores transações são Higienópolis, Vila Marian a e Vila Madalena, enquanto os de menores são Jardim Europa, Barra Funda, Ipiranga e Butantã

A região metropolitana de São Paulo está em um de seus melhores momentos em termos de atividade imobiliária, pelo menos é o que acreditam os especialistas da Propdo, proptech israelense que fornece soluções em software para tomada de decisão no mercado imobiliário e que acabou de chegar ao Brasil com um investimento de U$3 milhões. Alguns fatores podem ser os responsáveis por esse boom no mercado imobiliário.

“O planejamento estratégico que remodela o futuro da cidade, novas construções para diversas necessidades residenciais e, claro, a pandemia, aumentaram significativamente o volume de transações. Profissionais locais referem-se aos últimos dois anos como um período de crescimento do setor, impulsionado principalmente pela mínima histórica da taxa de juros (SELIC) ter caído até 2%, em 2020-2021, também pelas opções de financiamento mais atrativas (B2C e B2B) e demandas crescentes após a falta de unidades residenciais no mercado. Eu sugeriria também algumas razões psicológicas à medida que mais pessoas se apressaram para realizar seus sonhos, depois da pandemia”, explica Nathan Varda, head da Propdo no Brasil.

Estudos da companhia também apontam que o mercado de segunda mão caiu 15% nos volumes de transações, enquanto a lacuna é preenchida pelas compras de novas unidades residenciais. “Muitos players locais explicam o sucesso do novo mercado residencial com o programa nacional de financiamento de famílias de baixa renda para a compra de casas (Casa Verde e Amarela), e no centro de São Paulo, pela nova construção massiva empurrada pela nova lei de zoneamento e oportunidades de financiamento”, revela Varda.

A hora dos compradores

Ainda analisando se foi devido ao aumento da taxa de juros em 2022, as muitas novas unidades que foram construídas ou a inflação, mas, em junho, a Propdo percebeu que 65% dos clientes atuais em seu site são vendedores. “Podemos ver que, no momento, a coisa mais difícil para vendedores de todos os tipos- construtoras, corretores ou individuais- é encontrar os compradores certos para seu imóvel. Na verdade, esta é uma boa notícia para compradores que têm mais poder e podem barganhar por preços melhores. Também é o céu para os investidores que estão conseguindo economizar entre 30% e 40% do preço de mercado”, aponta o especialista.

Mas a situação não é unificada em todas as partes da cidade, alguns bairros têm grandes demandas enquanto outros lutam por atenção. “Enquanto Jardim Europa, Barra Funda, Ipiranga e Butantã têm muitos apartamentos à venda e baixo número de transações, percebemos que Higienópolis, Vila Mariana e Vila Madalena, concentram os olhares de compradores e investidores, com baixa demanda de imóveis disponíveis e elevado número de transações”, completa.

Sobre a Propdo

Criada em 2020, em Israel, a Propdo é uma empresa que fornece soluções em software para tomada de decisão no mercado imobiliário e que utiliza inteligência artificial. Com base em centenas de fontes de dados, incluindo registros financeiros, localização, transportes e planejamentos urbanos, a empresa consegue prever com exatidão o desempenho atual e futuro de imóveis residenciais na cidade de São Paulo.

A proptech, com bases na Europa e Nova Iorque, angariou US$5 milhões junto a investidores, como a Doral Renewable Energy Resources, para combinar tecnologia e experiência no setor imobiliário e estabelecer soluções para as dores e desafios, fornecendo ferramentas para a tomada de decisão dos players do mercado. Hoje, a tecnologia tem 99,6% de precisão nas estimativas realizadas em Israel, sucesso que deve ser repetido no Brasil.