6 de dezembro de 2022

O uso excessivo de medicamentos na atualidade

O uso de medicação tem como finalidade intervir para ajudar na saúde humana, contudo, a medicação sem a autorização médica pode prejudicar gravemente levando a consequências graves. A Organização Mundial da Saúde (OMS) descreve que por ano, uma faixa etária de 6 milhões pessoas sofreram uma intoxicação por conta dos medicamentos. A automedicação é um assunto sério, podendo levar o indivíduo a uma dependência e a morte. Com o número de desintoxicação alta, podemos analisar que o problema é frequente e que não é conscientizado pelas pessoas.

A população como um todo recorre de medicamentos para colocar fim na dor que sente, adolescentes, jovens, adultos e idosos fazem o uso sem a autorização de um profissional da saúde, sem saber dos riscos e consequências que aquela medicação pode causar ao indivíduo. Por muitas vezes as medicações são vendidas com facilidade, sem nenhum supervisão facilitando o processo de consumo. De acordo com pesquisas 76% das pessoas fazem o uso da medicação sem autorização médica, e apenas 50% das pessoas fazem o uso com a recomendação médica.

Problemas que podem ser desenvolvidos

Quando uma pessoa recorre das medicações e por algum motivo acontece uma intoxicação no corpo, a pessoa deverá ser levada para um hospital rapidamente antes que venha a falecer. No hospital acontecerá uma lavagem estomacal ou lavagem gástrica para poder tirar todas as substâncias tóxicas do corpo, salvando a vida do indivíduo. O uso sem prescrição pode causar problemas, como:

  • Vírus e bactérias: O uso indevido pode causa bactérias no corpo, levando uma pessoa à morte.
  • Problemas nos fígado e rins: Além de problemas renais.
  • Dificuldade no diagnostico: A dificuldade no diagnostico pode fazer com que dificulte a descoberta do verdadeiro problema.Com isso, o tratamento é descoberto anos depois.
  • Hemorragia: Hemorragia digestiva pode acontecer.
  • Problemas na gravidez: A criança pode crescer com problemas graves, ou a mãe pode perder a criança.
  • Doenças diversas: Há inúmeras consequências especificas desenvolvidas pelo uso excessivo de medicamentos, apenas um diagnóstico médico irá tratar o problema em especifico.
  • Dependência: A dependência poderá ser muito comum para quem consome a medicação excessivamente.

O uso indevido da automedicação

De acordo com dados, em 2025 aproximadamente 10 milhões de pessoas poderão morrer em decorrer da automedicação. Em 2030 aproximadamente 24 milhões de pessoas poderão morrer, o assunto deve ser levado para a população como forma de conscientização para que todos evitem usar medicações desnecessárias. Mas como fazer para evitar medicações desnecessárias? Veja:

  • Recomendação médica: A forma mais segura é indo em uma hospital, descrever o problema para o profissional e então com base em suas necessidades o doutor irá passar a medicação e a dosagem certa.
  • Indicação: A indicação de amigos, colegas, vizinhos e dentre outros pode levar à algum efeito colateral, pois nenhuma das recomendações partiu de um médico profissional que passou anos estudando o assunto.
  • Descrição do produto: Fazer sempre a leitura da bula médica para saber das causas e consequências.

As medicações mais usadas sem a prescrição médica é dorflex, aspirina, omeprazol, paracetamol, tylenol, amoxil, salonpas, torsilax, neosaldina, neosoro e dentre outros. O uso indevido de medicações frequentemente pode desenvolver outros problemas diversos em decorrer do uso da medicação. A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) relata que entre 40 e 60% das doenças que são infecciosas são em decorrer da automedicação.

O que fazer quando uma pessoa se torna dependente em decorrer da automedicação?

A medicação pode trazer dependência a quem consome excessivamente, e a forma mais segura para haver uma recuperação é realizando uma internação em uma clínica de recuperação. O vício faz com que o usuário perca o controle e consuma excessivamente, suas escolhas são impulsivas tendo atitudes que por muitas vezes são prejudiciais. A dependência independente do que seja é um péssimo habito para si e para todos que estão em sua volta.

Clínicas de recuperação são ambientes ideias para ajudar pessoas viciadas em álcool, e substâncias químicas. No local terá médicos psiquiatras, enfermeiros, supervisores, nutricionistas e psicólogos, todos estão a dispor de ajudar 24 horas o viciado. Cada pessoa será tratada de forma individualiza, todos entraram em processo de desintoxicação das drogas no corpo. Algumas medicações serão feitas, mas com o intuito de ajudar a controlar seus impulsos e com o passar do tempo as medicações serão diminuídas.

Um processo fundamento e importante é a ressocialização do indivíduo na sociedade, acontecerão palestras, terapia, atividade física e dentre outras. O objetivo é estimular para que o viciado conviva em sociedade sem o uso de drogas. O intuito é fazer com que o adicto tenha uma vida como antes, sem necessidade de usar drogas. Se você precisa de ajuda, o Grupo Aliança pela Vida pode te ajudar a encontrar uma clínica de recuperação ideal com base nas necessidades da família.