8 de dezembro de 2022

Principais cuidados que devemos ter com idosos em casa

Saiba como promover qualidade de vida e segurança 

Uns chamam de terceira, outros de melhor idade. A questão é que independentemente do nome que dão à fase, idosos precisam de alguns cuidados especiais, pois se apresentam mais vulneráveis.

Garantir um ambiente limpo, confortável e que dê o mínimo de autonomia sem oferecer riscos é fundamental. Para isso, um redesenho, reforma ou até mudança de imóvel podem se fazer necessários, a depender dos casos.

Claro que nem todos os idosos possuem as mesmas limitações, porém, é certo que conforme envelhecemos nossos corpos acabam precisando de medidas para manter nosso bem-estar.

Quanto mais facilitada for a rotina, menores as chances de acidentes. Manter os curativos, remédios e instruções sempre por perto será útil em casos de emergência, bem como os números de emergência.

Se sua situação não se trata de reforma, mas uma mudança de casa, pense em opções térreas. Escadas limitam a mobilidade, principalmente se o idoso viver só.

Na decoração, investir em murais de avisos e móveis revestidos para evitar machucados e arranhões é o mais prudente a se fazer. 

Há muitas outras medidas para se atentar e, a fim de te ajudar a se lembrar de tudo, separamos os cuidados por cômodos. Então, anote essas dicas e faça da senioridade de alguém, de fato, a melhor idade.

Banheiro

O banheiro é uma das áreas da casa que mais podem oferecer riscos. A umidade, além de contribuir com a proliferação de bactérias, pode manter o espaço escorregadio. 

Nesse caso, janelas grandes que permitam uma maior circulação de ar impedirão que a umidade se acumule.

Barras de apoio dentro do boxe para que o idoso ou idosa não caiam são de suma importância. Tapetes antiderrapantes e o próprio piso com maior atrito também são aliados contra o chão molhado.

O suporte para toalha de banho, sabonete e demais cosméticos deve estar ao alcance, pois o ideal é que o indivíduo não precise se pendurar ou subir em alguma mobília ou escada para pegar os itens.

Quarto

Camas mais baixas, menos móveis para evitar esbarrar, cadeiras e, é claro, tudo na altura das mãos. Essas são algumas das medidas que podem ser tomadas para manter o conforto e a segurança dos idosos.

Tapetes podem acabar gerando escorregões e tropeções, por isso, pode ser bom negócio evitá-los. Caso a habitação seja fria, um tapete grande e bem preso ao chão é uma opção possível.

Um quarto com suíte também pode facilitar bastante as coisas, afinal, casos de incontinência urinária, pessoas com limitações para andar e outros pontos que dificultam o trânsito pelo cômodo devem ser considerados.

Casas arejadas demais, que chegam a ser frias, também precisam de alguns cuidados, como a garantia de aquecimento, principalmente no quarto, pois a chance de resfriados é também maior.

Cozinha

É preciso se atentar a objetos cortantes que possam ficar com pontas expostas, como facas e tesouras.

A pia deve ser mais baixa, para não afetar a coluna (levando em conta a altura do usuário). 

Itens de vidro ou porcelana também devem ficar em prateleiras mais baixas, para que não quebrem e acabem cortando alguma parte do corpo.

Iluminação

Com a visão geralmente prejudicada, a iluminação é imprescindível para evitar quedas e tropeços.

Uma dica, sobretudo para o período noturno, é instalar fitas de led ou luzes com sensores de presença nos corredores e no banheiro.

No mercado há disponíveis, inclusive, dispositivos para colocar no vaso sanitário e perto da torneira, para que ainda que a luz não acenda, o idoso possa enxergar.

Muitos desses produtos possuem bateria recarregável e podem se manter acesos por algum tempo, mesmo se a energia elétrica for interrompida.